20 fevereiro 2017

Mais de Meio Século de Vida




E não é que no último dia 17 de  Fevereiro completei 55 anos de vida?
Nem acredito. Acho que o tempo se enganou no tempo comigo.

Ainda há pouco tempo me apaixonei perdidamente e quase adolescentemente pelo meu último amor, pela minha Elza que me deu dois tesouros, dois maravilhosos filhos, José Renato II (JR)  e João Antônio. O JR já nos deu a Lariza minha nora e as filhas que não tivemos,  as linda netas Maria Clara e Ana Luiza. João Antônio nos deu a Kennia!
E também não poderia deixar de registrar aqui e de agradecer de forma profunda e grandiosa aos meus pais, João e Euza, a quem eu rogo todas as noites pela a nossa existência, minha e de meus irmãos João Júnior, Marco Antônio e Maria Juliana e uma carrada de sobrinhos: Mardinho, Isadora, Sara, Ana Laura, Maria Júlia, José Miguel e Enzo Gabriel!

Como estes anos se passaram rápido! Nessa passagem, ficaram as marcas, marcas de uma vida, de quem viveu 55 anos. Algumas dessas marcas ficaram registradas nas fotografias e na mente. Destes que dividiram comigo um click fotográfico, alguns já partiram para sempre, outros, até hoje, dão-me o prazer de suas companhias.

Nesses meus 55 anos, acho que quase todo mundo é mais moço que eu, não que os invejo, pois vivi avidamente todos os dias de minha vida, mas percebo que os anos se passaram numa velocidade estrondosa.
Nessa caminhada, que já dura 55 anos, muitas pessoas fizeram parte de minha vida, muitas delas passaram e não deixaram saudades. Outras não, sem que soubessem, deixaram suas marcas que me acompanharão por toda minha vida, e se eu completar outros 20, 30, 40 anos, suas lembranças farão bem à minha alma

Agora chego aos 55 anos. Chegar aqui não foi tão assustador como quando eu estava chegando aos 25,  35 , 45 anos, mas foi bom  finalmente chegar. A viagem a este mais de meio século nem sempre foi bem planejada, pelo menos conscientemente. Talvez meu amor pelos livros, pela leitura, pela arte, tenha sido o meu auxílio nesta caminhada.

A desvantagem da idade é e deterioração  física. Assim como os  produtos chineses nós não fomos feitos para durar. Os componentes do nosso corpo vão caindo na qualidade e vejo por exemplo que  a minha visão já não é tão nítida! Também caimos  na realidade  que os anos restantes são menos do que aqueles que já vivemos. A vida não é um campo de teste ou uma sala de espera. Este negócio chamado vida é o que temos de real.

Meu objetivo agora é me tornar mais destemido e me envolver ainda mais com a vida. Eu amo onde estou,  eu amo minha família, eu amo meus amigos, eu amo não ter emprego, eu amo a minha vida. Eu amo viver!


Que venha as próximas décadas!

18 fevereiro 2016

5.4

Não é que no dia 17 de Fevereiro de 2016 completei 54 anos, mais de meio século de vida?
Nem acredito. Acho que o tempo se enganou no tempo comigo.
Como estes anos se passaram rápido! Nesses meus 54 anos, acho que quase todo mundo é mais moço que eu, não que eu os invejo, pois vivi avidamente todos os dias de minha vida, mas percebo que os anos se passaram numa velocidade estrondosa.
A desvantagem da idade é e deterioração física. Assim como os produtos chineses nós não fomos feitos para durar. Os componentes do nosso corpo vão caindo na qualidade e vejo por exemplo que a minha visão já não é tão nítida! Também caímos na realidade que os anos restantes são menos do que aqueles que já vivemos.
Para a astrologia, hoje é o dia que o meu ano realmente começa. (Não que eu acredite em astrologia).
No dia do aniversário, o sol volta ao exato ponto em que se encontrava no momento do nascimento, simbolizando o início do ano pessoal.
Já que é um recomeço, vou aproveitar para refletir sobre o caminho que trilhei nesses últimos 54 anos. Vou considerar onde falhei, onde acertei. Tudo o que já vivi ajudou a moldar quem sou hoje. Reconheço minhas escolhas e as aceito. Não posso mudar o passado, mas posso e devo definir o meu futuro.
Vou aproveitar este presente, pois acabo de ganhar mais 365 dias, para superar meus desafios e desenvolver minhas qualidades.. Mais um ano inteirinho para me conhecer, me encontrar (ou me reencontrar) e descobrir se minha melhor versão é esta que já existe e está dentro de mim ou terei que me aprimorar.
Sei que tenho o poder de fazer da minha vida acontecer do meu jeito ou deixar que o jeito de outras pessoas a determinem para mim. Sei que a escolha é minha. E eu escolho viver a minha vida do meu jeito.
Já que a escolha é minha, hoje não parece o dia perfeito para (re)começar?.


José Renato de Freitas Almeida